Pessoas gordas e impostos

Por Ragen Chastain, tradução livre por Janaína Marques

Jeanne Lorioz

Jeanne Lorioz

“Enquanto meu seguro e impostos continuarem pagando pela diabetes e problemas cardíacos deles[sic], eu vou continuar me achando no direito de dizer para todo mundo com sobrepeso que eu vejo que ele precisa perder peso. A vergonha é poderosa e a gordura deles [sic] está me custando grana de verdade.” 

Foi isso que eu li quando quebrei a regra fundamental de ser gorda na internet e ler os comentários.

Primeiramente, quando alguém traz isso à tona eu costumo procurar a lista de coisas pelo que seus impostos pagam, dividido em coisas que eles querem pagar e coisas que não, e as intervenções nas quais eles estão participando para cada coisa que eles não querem pagar. Ninguém jamais criou uma lista dessas (e que lista!) – Eu acho que é porque não têm nada para fazer com seus impostos, então isso é simplesmente uma maneira conveniente para apoiar sua intolerância por tamanhos.

 Esse argumento é baseado em reivindicações inconsistentes de que pessoas gordas não são saudáveis e que custam mais para a saúde do que as pessoas magras. Eu vou olhar para isso de duas maneiras. Primeiro a realidade, e então como se essas suposições fossem verdadeiras:

Realidade:

Uma pesquisa independente mostrou que as reivindicações sobre custo da saúde para pessoas gordas são seriamente exageradas (graças a um mundo onde pessoas podem dizer qualquer coisa sobre pessoas gordas e muitos vão acreditar). A verdade é, olhando para uma pessoa você não pode dizer o quão saudável ela é. Você só pode dizer qual tamanho ela tem. Não existe o tal do peso saudável. Saúde é complicada, multidimensional, e não está completamente sob nosso controle. As pessoas fazem todos os tipos de escolhas que não priorizam sua saúde, elas têm o direito de fazer essas escolhas, e você não pode dizer nada baseado no tamanho delas.

Além disso, uma pesquisa da Universidade de Columbia mostrou que vergonha e estigmas podem ter efeitos negativos na nossa saúde, então é possível que se os impostos deles estão pagando pela saúde das pessoas gordas, eles podem na verdade estar pagando pelos resultados de seu fatshaming e intolerância. (Nós nunca vamos saber o efeito que essas exposições e ataques provocam nas pessoas gordas até que paremos de fazer isso com elas).

Pessoas gordas são alvos porque somos facilmente identificáveis visualmente, e nunca será uma boa ideia pegar um grupo que pode ser identificado visualmente e sugerir que eles deveriam ser erradicados para tornar as coisas mais baratas para o resto da sociedade. Sem contar que ninguém que tenha esse argumento consegue mostrar sequer um método de perda de peso que tenha sido eficaz para mais do que uma mínima fração de pessoas ao longo do tempo.

Mas vamos fazer de conta que a suposição é verdadeira. Nesse caso: Eu sou gorda, então eu não sou saudável e posso custar mais. Mas…

  • Pessoas gordas também pagam impostos, e nossos impostos vão para pagar a guerra contra a obesidade – na verdade estamos financiando uma guerra travada contra nós mesmos pelo nosso governo com o propósito de nossa própria erradicação.
  • Eu nunca nem mesmo fumei um cigarro. E ainda assim meus impostos vão para todas as pessoas que têm problemas de saúde relacionados ao tabagismo.
  • Eu não bebo. Eu inclusive nunca fiquei bêbada. E ainda assim meus impostos pagam pela cirrose, acidentes causados por alcoolismo e intoxicação por consumo de álcool.
  • Eu nunca usei drogas. E ainda assim meus impostos pagam pelas pessoas que têm as vidas e os corpos definhados pelo consumo exagerado de drogas.
  • Eu olho para os dois lados antes de atravessar a rua. E ainda assim eu pago pelas pessoas que atravessam a rua correndo e se dão mal por fazer isso.
  • Eu não escalo montanhas, mas meus impostos pagam pelos custos da saúde de quem tenta fazê-lo e dramaticamente não tem sucesso.

E bem, eles deveriam, porque é como sociedades civilizadas se comportam. Eu preferiria que meus impostos pagassem antibióticos para curar bronquite do que pagar por emergências e internação por pneumonia. Eu preferiria que meus impostos pagassem por emergências e internação por pneumonia do que por funerais públicos porque uma pessoa não teve acesso à saúde. Eu acho que a sociedade onde todo mundo tem acesso à saúde é melhor de qualquer ângulo possível, e então me interessa mais remover barreiras para a saúde, e não as justificando com um argumento sobre meus impostos.

 Mesmo se saúde estivesse inteiramente sob nosso controle, eu preferiria que meus impostos fossem para a saúde das pessoas que fazem escolhas diferentes das minhas do que viver em um mundo onde há alguém que tem que nos dizer como nós todos deveríamos viver, e eu acho que as pessoas que utilizam do argumento “pessoas gordas e meus impostos” concordariam. Eu notei também que pessoas que querem policiar a minha “saúde” (e por “saúde” eu quero dizer “tamanho”, o que não é a mesma coisa) nunca estão tão empolgadas assim para que outras pessoas façam o mesmo com a sua.

 Veganos deveriam pagar somente pela saúde de outros veganos se eles acreditam que esse é o estilo de vida mais saudável? Os impostos de cientistas cristãos não deveriam pagar por saúde alguma? Pessoas sem carro não deveriam pagar impostos por estradas, pessoas sem filhos não deveriam pagar impostos por escolas? Como eu acho que pessoas que têm esse argumento são bullies, eu não deveria pagar por sua saúde já que eu não gosto de bullies?

Maratonistas morrem de ataque cardíaco. Pessoas que fazem tudo “certinho” (“certinho” aqui significa “as preocupações com saúde que os trolls dizem que devemos ter”) morrem de doenças às quais eram geneticamente predispostas. Outras pessoas vivem suas vidas de maneiras das quais discordamos, nós vivemos nossas vidas de maneiras que outras pessoas discordam, e todo esse drama de “ninguém vai pensar nos meus impostos” não é nada mais que intolerância velada a pessoas gordas.

 Resultado final:

 Mesmo se eles pudessem provar que ser gorda me faz menos saudável (o que eles não podem). E mesmo se eles tivessem um método que fosse cientificamente provado para uma bem sucedida perda de peso de longo prazo (o qual eles não têm). E mesmo se houvesse prova de que perder peso me faria mais saudável (o que não existe). E mesmo se eles saíssem berrando com fumantes, alcóolatras, pedestres irresponsáveis, e pessoas magras que escalam montanhas (o que eles não fariam) isso é ainda um tremendo círculo vicioso. E ainda não leva em conta a realidade de que sua premissa é completamente falha, seus pressupostos são falaciosos, e que seu método de envergonhar as pessoas é totalmente ineficaz, uma vez que não consegue fazer com que nos odiemos saudáveis ou magros.

Então eu acho que seria lindo se eles apenas calassem a boca.

———————————————————————————-

Ragen Chastain escreve para o blog Dances with Fat onde ela desafia as suposições sociais sobre corpos diariamente. Chastain é autora de FAT:The Owners Manual e uma dançarina realizada.

Ela acredita que o respeito básico e os direitos à vida, à liberdade, e o de ser feliz não dependem de tamanho. Ela acredita que é impossível falar sobre a saúde de alguém baseado no seu tamanho. Ela acredita que saúde pública é fazer da saúde algo acessível para todos, e não fazer do corpo das pessoas gordas um problema público. E ela acredita no respeito a qualquer escolha que as outras pessoas façam sobre seus corpos, sendo ou não as escolhas que ela faria. 

Fonte (original em Inglês): http://www.themilitantbaker.com/2014/09/fat-people-and-tax-dollars-by-ragen.html

Anúncios

Uma resposta para “Pessoas gordas e impostos

  1. Oie, acho muito legal esse site. Eu gosto de ler o que vcs escrevem e eu concordo com muitas coisas.
    Mas eu nunca vi esse negocio de impostos sendo usados contra pessoas obesas… Eu até ri! Como existe pessoas que usam argumentos assim? Hahahaha que besteira.
    Mas eu soube que já enquadraram obesidade como doença. Eu sei pelo simples fato que eu cheguei em obesidade grau I e estava quase indo para a obesidade grau II. Foi realmente dificil pq eu tive muitas doenças que vieram com a obsidade, perdi 20 kg… Mas ainda não estou no meu peso “ideal”.
    Eu acho que nem toda pessoa que está acima do peso está doente, mas eu sou uma prova viva que obesidade pode ser sim considerada doença.
    Bjs

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s